05 setembro, 2007

Colcha de Retalhos

Hoje, uma bela manhã de sol, quase primavera, onde todos os cheiros e cores lembram alegria e amor, me lembrei de alguém. Uma pessoa que já não está mais nesse mundo, mas que adorava viver. E com esse sentimento, sabor saudade com cobertura de ternura, fiquei pensando na minha vida e nas palavras de Mario Quintana quando disse: “minha vida é uma colcha de retalhos, todos da mesma cor”.
Deve ser triste ter uma vida assim. Fiz uma retrospectiva e descobri que minha colcha de retalhos é muito colorida. Vermelho, azul, amarelo, verde esperança, branco da paz, rosa criança. Alguns pequenos paninhos são pretos, outros cinzas, tem até alguns marronzinhos, mas olhando com jeitinho ela é toda cores, flores, variadas e bonitas.
Não guardo lágrimas nem gemidos, não guardo rancores nem desamores. Quero só as boas lembranças, sensações que acalentem minha alma, e canções que digam o quanto é bom ser feliz!

Um comentário:

Daniel disse...

Olá Regina, concordo com você! Também prefiro ter uma colcha de retalhos coloridos a ter uma vida mediocrimente unicolor. Fiquei surpreso ao ver a sua formação, também adoro história, sempre foi minha matéria preferida no colégio. Hoje faço Direito, mas uma das minhas opções eram a Psicologia também, seguido da Sociologia. Sua formação acadêmica é muito bela, e justifica o grau de cultura que ostenta.
Quanto ao meu aniversário, é no dia 15 de setembro, mais precisamente às 11h 45min. Linda data não é mesmo?
Um grande abraço!