28 julho, 2008

Os Jogos Olímpicos de Beijing














Os jogos da 26ª Olimpíada dos Tempos Modernos serão realizados em Pequim (República Popular da China) de 06 a 24 de agosto de 2008.

Vamos saber um pouco sobre Pequim:

Nome: Beijing

Língua: Mandarim
(o mandarim é a língua oficial, mas o cantonês também é bem conhecido, afinal, é falado em Hong Kong, Cantão e Macau - a escrita é feita com ideogramas que são colocados lado a lado para dar outros significados).

População: 17.200.000 (aproximadamente)
Fuso horário: 11 horas a mais que Brasília
Temperatura em agosto: mínima 20º e máxima de 29º

Atrações turísticas de Pequim e nas proximidades da cidade: Cidade Proibida, Grande Muralha da China, Templo do Céu, Templo do Sol, Templo de Confúcio, Parque Beihai, Zoológico de Pequim, Rua Wangfujing, Shichahai, Parque Jingshan, Praça Tiananmen (Praça da Paz Celestial), Museu Nacional, Salão do Povo, Ponte Marco Polo, Mausoléu de Mão Tsé-tung, Parque Badachu, Palácio de Verão, entre outros.


A China gastará cerca de U$ 34 bilhões nas Olimpíadas, sendo que mais de 60% será no saneamento básico e em projetos ambientais. Ao todo 130 mil pessoas trabalharão na Olimpíada de Pequim e vestirão as roupas que trazem símbolos da tocha, os uniformes serão compostos por calça cinza e camisetas nas cores vermelha, azul e cinza.



Os mascotes:
Os Fuwa (em Chinês 福|娃) consistem de cinco membros que incorporam peixe, panda-gigante, fogo, chiru e andorinhas, que correspondem aos 5 elementos da filosofia chinesa: água, metal, fogo, madeira e terra. Cada Fuwa possui como sua cor primária uma das cinco cores da Bandeira Olímpica. Os cinco Fuwa são chamados de Beibei, Jingjing, Huanhuan, Yingying, e Nini. Quando a primeira sílaba de cada um dos cinco nomes são ditas juntas o resultado é a frase em chinês (Běijīng huānyíng nĭ) que significa "Pequim recebe você".

27 julho, 2008

Felicidade Realista





















A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

(Mario Quintana)

25 julho, 2008

Eu escrevi um poema triste
















Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

(Mario Quintana)

23 julho, 2008

O olhar de Capitu














A genialidade de Machado de Assis, o maior escritor brasileiro de todos os tempos, nos deu de presente Dom Casmurro, um romance no estilo realista, marcado pela sobriedade, correção gramatical, linguagem clássica e bem cuidada. Seu personagem Capitu é um dos mistérios mais debatidos da literatura brasileira. Capitu é emblemática, determinada, seu “olhar de ressaca”, oblíquo, dissimulado procura uma saída para seus sonhos e nos aponta para a luta entre seus desejos e a repressão social da época.

"...Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia,nos dias de ressaca. Para não ser arrastado, agarrei-me às outras partes vizinhas, às orelhas, aos braços, aos cabelos espalhados pelos ombros; mas tão depressa buscava as pupilas , a onda que saía delas vinha crescendo, cava e escura ameaçando envolver-me, puxar-me e tragar-me..."

(trecho do livro Dom Casmurro - Machado de Assis)

Regina Fernandes

19 julho, 2008

POESIA NON DEVE SIGNIFICARE, MA ESSERE


O amor antigo

O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
o antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mais pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

(Carlos Drummond de Andrade)

17 julho, 2008

Paul Cézanne




















Retrato de Louis-Auguste Cézanne
(pai do artista)- Óleo sobre tela


Paul Cézanne nasceu em 19 de Janeiro de 1839 em Aix-en-Provence (França), onde estudou desenho e ficou amigo de Émile Zola. Em 1861 foi para Paris estudar pintura e lá conheceu os artistas Manet, Monet, Renoir e Degas e participou de movimentos contra o academicismo. Sua pintura realista se tornou impressionista a partir de 1873, quando pintou o quadro "A Casa do Enforcado". Nele, embora seguisse a técnica impressionista, revelou um estilo próprio. No final da década de 70 rompeu com o movimento. Passou, então, a tentar aliar a experiência impressionista ao raciocínio lógico para reconstruir a natureza. Convencido de que as formas na natureza seguiam os modelos do cilindro, da esfera e do cone, desenvolveu uma pintura própria. Com a série "As Banhistas" (1900-1905), influenciou jovens artistas da época, como Picasso e Matisse, antecipando o cubismo e o fauvismo.
Morreu em Aix-en-Provence em 22 de outubro 1906.

O Grande Amor












Haja o que houver
Há sempre um homem para uma mulher
E há de sempre haver
Para esquecer um falso amor
E uma vontade de morrer
Seja como for
Há de vencer o grande amor
Que há de ser no coração
Como um perdão para quem chorou.

(Antonio Carlos Jobim & Vinicius de Moraes)

11 julho, 2008

A linguagem e a Fala


A compreensão da linguagem parece preceder a compreensão da fala, pois a criança se comunica através de gestos, olhares, e mímica antes de poder se expressar oralmente. Ela também compreende muitas palavras num estágio bem anterior àquele em que adquire capacidade para articulá-las.
Para aprender a falar, o ser humano precisa ter perfeitos órgãos sensoriais, motores e de articulação, além de um processo normal de evolução do sistema nervoso. É a partir desses elementos que ela desenvolve uma linguagem correta, clara e lógica, imprescindível à sua integração social.
Tendo em vista a importância da linguagem, fica fácil avaliar a problemática vivida por indivíduos portadores de deficiências nessa área. Quando a fala é defeituosa, por exemplo, o fato chama a atenção da pessoa que ouve, interferindo, portanto, na comunicação. Em se tratando de uma criança, o problema é maior: além de torná-la desajustada ao meio em que vive a deficiência provocará reflexos na aprendizagem e no aproveitamento escolar.
Recentemente, uma série de investigações sistemáticas e pormenorizadas
demonstram até que ponto os fatores ambientais são importantes para o desenvolvimento da linguagem. A influência do meio acontece desde muito cedo e seus efeitos são duradouros. O modo de falar dos pais é muito importante para o desenvolvimento da linguagem e da fala da criança. E os irmãos também, como no caso de um filho mais velho que, ao perceber a atenção que o irmão mais jovem recebe com seu modo de falar infantil, passa a imitá-lo até que isso se torne automático.
De uma maneira geral, o ambiente no qual a criança se desenvolve “fornece“ o clima emocional, os modelos verbais e as experiências infantis. Ambiente descontraído e segurança afetiva influem de maneira positiva no desenvolvimento das etapas iniciais de vocalização e balbucio.
Os modelos verbais influem pela quantidade, pela qualidade e também por sua vinculação com as experiências imediatas da criança. Escassez e exagero, por exemplo, são contraproducentes; construções gramaticais e articulações muito infantis (ou em nível por demais adulto) desfavorecem o desenvolvimento.
Mas o intercâmbio entre a criança e o adulto não se restringe a um recebimento passivo por parte da primeira. A estimulação é mútua. Os adultos tendem a se desinteressar por crianças pouco ativas e que respondem escassamente aos estímulos. Por outro lado, as crianças cujas vocalizações são ignoradas ou reprimidas dificilmente aumentam ou diversificam suas emissões.
Além dos fatores ambientais, o desenvolvimento da linguagem depende também de condições biológicas, que devem ser consideradas sob dois aspectos: a hereditariedade e o estado de saúde.

Regina Fernandes

10 julho, 2008

Momento Cultura Inútil



10 de Julho Dia Internacional da Pizza

Pelo que sabemos a Itália é o berço da pizza, onde já eram feitas em formato redondo desde o século XVII. A primeira pizzaria surgiu também em Nápoles em 1830. Com a imigração italiana para as Américas as pizzas chegaram a todas as partes do Novo Mundo, mas o Brasil e os Estados Unidos são os campeões de consumo desta iguaria.

Com o frio que está fazendo esses dias até que uma pizza com um bom vinho tinto é uma boa pedida!

07 julho, 2008

A propósito dos 28 anos da morte de Vinicius de Morais - O Poeta da Paixão -














19 de outubro de 1913 / 9 de Julho de 1980


Esta é uma semana com gosto de nostalgia, de saudade. Afinal, lá se vão 28 anos sem o Poetinha, uma perda enorme que só é diminuída por sua vasta obra poética, em ensaios, músicas e poesias. Vinicius escreveu as canções que cantávamos em minha juventude e os mais belos poemas que eu ainda sei de cor.



Soneto da Separação

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.


Soneto da Fidelidade

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.
E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor ( que tive ) :
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

06 julho, 2008

Ontem o sábado foi nota DEZ! Eu, Marcello e Livia fomos assistir o grupo "Cia. Os Melhores Do Mundo", no Canecão, com a peça HERMANOTEU NA TERRA DE GODAH. Hermanoteu, o protagonista, recebe a missão divina de encontrar a Terra de Godah, com isso caminha anos a fio pelo deserto e na sua busca encontra César (O Imperador Romano), Cleópatra, deuses pagãos, bárbaros, Jesus e outros personagens fantásticos. A peça é alegre e divertida e o final surpreendente. Como sempre, encerramos a noite no Restaurante Ícaro. Foi tudo muito bom.

01 julho, 2008

Calendário do Mês




















Neste mês de Julho o abraço vai para Anibal, desejando muita sáude, paz e tudo de bom ao lado da família e amigos.