29 janeiro, 2009

Plenitude















Abro as portas
serena
esquecida no silêncio
suspiro
as lágrimas correm
saio
vejo raios de esperança
bonança
novas trilhas
renovo
plena de mim


Regina Fernandes

28 janeiro, 2009

Mães Prematuras X Bebês Prematuros


O desejo de abordar este tema surgiu do fato de se constatar a existência de um elevado índice de bebês prematuros nas UTIs dos hospitais, cujas mães, também consideradas “prematuras”, necessitam de um atendimento psicológico clínico.
A incidência de gravidez em jovens com menos de 18 anos de idade que, em sua maioria, se encaixam no perfil de “mães prematuras” tem sido objeto de grande interesse nos últimos anos no mundo, pois se constata nas últimas décadas um aumento considerável do número de “mães prematuras”, questão esta que tem sido apontada como problema de saúde pública, além de social, tanto no Brasil quanto em outros países.
No Brasil percebe-se igualmente o crescente número de “mães prematuras” com bebês prematuros, fato esse amplamente divulgado e discutido pela mídia, através de reportagens televisivas, em vários jornais e revistas do país, assim como por vários profissionais de saúde através de artigos.
É necessário estabelecer definições e Clara Regina Rappaport traz o conceito de “mãe prematura” como sendo aquela figura materna não estável, que não consiga criar laços estáveis de amor e de confiança na relação com o bebê, e que não seja, ao nível qualitativo, capaz de compreender e atender as solicitações básicas feitas pela criança. Outra definição que parece importante e segura é da OMS (Organização Mundial de Saúde), que considera “mãe prematura” aquela que ainda não completou seu amadurecimento físico, psíquico, emocional e financeiro.
O bebê prematuro é considerado (biologicamente) aquele cujo período de gestação é menor do que 32 semanas, precisando assim de cuidados especiais nas UTIs e enfermarias neonatais dos hospitais.
Através de bibliografias pesquisadas foi feita uma abordagem da “mãe prematura” e suas características físicas e emocionais, assim como todas as transformações que ocorrem nesta fase, físicas e psíquicas, pois a jovem mãe ao se deparar com uma gravidez quase sempre indesejada e mal programada percebe-se num período de baixa-estima e de transição em que passa da condição de filha para mãe e mulher, sem estar devidamente preparada para acolher, alimentar e amar seu bebê, que já nasce fisiologicamente prematuro.
Sob o ponto de vista biológico as mulheres são consideradas aptas para o primeiro parto quando estão numa faixa etária que vai dos 18 aos 22 anos, as que dão a luz antes dos dezoito anos são denominadas primíparas jovens adolescentes e as que gestam e amamentam antes dos dezesseis anos são denominadas primíparas “Giveníssimas” (termo italiano), porque foi na Itália que pela primeira vez se estudou estes aspectos das mães muito jovens e consideradas prematuras.
Alguns aspectos importantes devem ser destacados no que se refere às “mães prematuras”:
- elas são jovens meninas que estão iniciando sua vida sexual cada vez mais cedo e sem a mínima informação sobre seu corpo e métodos anticoncepcionais acarretando uma liberação sexual irresponsável e imatura;
- fatores individuais, psicológicos, familiares e sociais, são apontados como os determinantes de uma atividade sexual precoce, com conseqüente gravidez indesejada e despreparo emocional para o nascimento do bebê;
- a gravidez torna-se indesejada porque essas mães não desejam esses filhos devido a todas as conseqüências trágicas decorrentes da gestação de adolescentes nas classes populares da nossa sociedade;
- a difícil relação doméstica familiar e a ausência emocional do pai, decorrente de vários motivos, exerce um papel importante nesta questão;
- pertencem a famílias com baixa condição econômica, onde a falta de orientação familiar se faz sentir mais fortemente;
- não recebem uma atenção especializada no que tange a problemática da saúde: a procura dos serviços de assistência médica e pré-natal, ou é muito tardia ou na maioria das vezes nem acontece, fato este que se dá por desconhecimento ou constrangimento.
A gestação nessas “mães prematuras” cria um círculo vicioso de miséria, pobreza e ignorância já que a menor grávida não tem, na maioria dos casos, como estudar e acaba abandonando a escola para cuidar do filho e da casa, e, apenas uma pequena parte se casa com o pai da criança e destas, a maior parte separam-se nos primeiros dois anos de casamento, geralmente por falta de maturidade do casal para manter um relacionamento e assumir a responsabilidade da casa e da educação do filho; outras jovens deixam seus filhos entregues aos cuidados de suas mães ou os deixam abandonados aos cuidados de vizinhos.
A complexidade da problemática mãe prematura x bebê prematuro exige uma atenção especial tanto dos psicólogos que atuam na área da saúde como de toda a sociedade.


Regina Fernandes

27 janeiro, 2009

26 janeiro, 2009






Lembrem de mim
como de um
que ouvia a chuva
como quem assiste missa
como quem hesita, mestiça,
entre a pressa e a preguiça

(Paulo Leminsk)

25 janeiro, 2009

Ponto Final



Não tenho mais teu retrato
na memória
no coração
não sinto mais o teu cheiro
não sinto mais tuas mãos
teu olhar desamparado
não me toca o coração
palavras e sons
esquecidos
atravesso a noite
indo em outra
direção.



Regina Fernandes

24 janeiro, 2009

Fresta















Em meus momentos escuros
Em que em mim não há ninguém,
E tudo é névoas e muros
Quanto a vida dá ou tem,
Se, um instante, erguendo a fronte
De onde em mim sou aterrado,
Vejo o longínquo horizonte
Cheio de sol posto ou nado

Revivo, existo, conheço,
E, ainda que seja ilusão
O exterior em que me esqueço,
Nada mais quero nem peço.
Entrego-lhe o coração.


(Fernando Pessoa)

23 janeiro, 2009

Estupor





















Esse súbito não ter
esse estúpido querer
que me leva a duvidar
quando eu devia crer

esse sentir-se cair
quando não existe lugar
aonde se possa ir

esse pegar ou largar
essa poesia vulgar
que não me deixa mentir



(Paulo Leminski)

22 janeiro, 2009

Recomeço





















..."Estou de volta pro meu aconchego
Trazendo na mala bastante saudade
Querendo
Um sorriso sincero, um abraço,
Para aliviar meu cansaço
E toda essa minha vontade..."

(Dominguinhos - Nando Cordel)


Olá amigos!
Como é bom estar de volta depois de alguns dias de férias! Estou muito feliz em estar aqui novamente, com mais energia, cabeça zerada, muitas idéias e muita vontade de construir novos traços e muitos laços em 2009.
Sejam bem vindos!



09 janeiro, 2009

Estamos de Férias!



Pois é, ano novo, vida nova e o melhor que temos a fazer é recarregar as energias para estarmos revigorados neste novo tempo.
Estou saindo mas já volto.
Para quem me acompanhou durante o ano obrigada pela companhia e pelo carinho.
Aproveitem para dar uma lida nas postagens antigas, assim o tempo passsa mais rápido.
Até a volta, depois das férias de verão!


08 janeiro, 2009

Para Flávia





















Hoje tentei escrever
um poema para você
falando só de saudade
solidão acompanhada
que amordaça o coração
quando falta um pedaço
descolorindo as palavras
que grita mas não tem voz
tentei mas não consegui
e a saudade
continua aqui...

Regina Fernandes


07 janeiro, 2009

A Verdade
















A porta da verdade estava aberta,
mas só deixava passar
meia pessoa de cada vez

Assim não era possível atingir toda a verdade,
porque a meia pessoa que entrava
só trazia o perfil de meia verdade.
E sua segunda metade
voltava igualmente com o mesmo perfil.
E os meios perfis não coincidiam.

Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
Chegaram ao lugar luminoso
onde a verdade esplendia seus fogos.
Era dividida em metades
diferentes uma da outra.

Chegou-se a discutir a metade mais bela.
Nenhuma das duas era totalmente bela.
E carecia optar. Cada um optou conforme
seu capricho, sua ilusão, sua utopia.


(Carlos Drummond de Andrade)

06 janeiro, 2009

Viagem





Mochila nas costas
sem hora marcada
nenhuma pousada
ninguém me esperando
vou ver o por do sol com quem amo
vou beijar a chuva
e abraçar o vento
vou onde o sonho me levar
volto quando me encontrar



Regina Fernandes


05 janeiro, 2009

Família Fernandes


Sobrenome de origem portuguesa, considerado como sendo o patronímico do nome próprio Fernando, assim, alguém denominado de Fernandes era filho do Sr. Fernando.

O nome Fernandes significa pessoa de boa família, honrado e é originado das colinas de Portugal.

Portugal e Espanha são intimamente ligados através de uma série de eventos históricos. Os dois países, considerados um só até a Idade Média, ficaram sob o domínio periódico dos Romanos e os Mouros. As línguas possuem muitas semelhanças de uma para outra, e os sobrenomes portugueses têm em comum traços dos sobrenomes espanhóis, particularmente influenciados por Árabes e Visigodos.

O nome Fernandes demonstra a influência que a Espanha freqüentemente teve na cultura portuguesa como os sobrenomes compostos pelas palavras espanholas FARD e NAND significando viagem e ousadia, respectivamente. Combinadas estas duas palavras talvez tenham sido usadas como um sobrenome "apelido", já que um sobrenome descreve uma característica dos originais portadores.

O nome Fernandes e suas variantes foi um dos sobrenomes mais populares em Portugal e na Espanha no período Medieval e permaneceu neste meio, muito comum ainda hoje na Península Ibérica.


04 janeiro, 2009






Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania
depende de quando e como você me vê passar.


(Clarice Lispector)

03 janeiro, 2009

O Tempo
















Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de
ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro
número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser
diferente...

Para você, desejo o sonho realizado
O amor esperado
A esperança renovada

Para você, desejo todas as cores desta vida
Todas as alegrias que puder sorrir
Todas as músicas que puder emocionar

Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices
Que sua família esteja mais unida
Que sua vida seja mais bem vivida

Gostaria de lhe desejar tantas coisas...
Mas nada seria suficiente...
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes... e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua FELICIDADE."

(Carlos Drummond de Andrade)