27 outubro, 2009

O Realejo




Quem já tirou a sorte num realejo?
As férias da minha infância foram numa cidade do interior de Minas Gerais e na minha memória ficou aquela musica melancólica do realejo. O homem do realejo descia a rua sempre à tardinha rodando a manivela daquela caixa de onde saíam os papeizinhos que o periquito escolhia com seu bico, virando a cabecinha pra lá e pra cá e que diziam a sorte das muitas crianças e jovens que corriam felizes para saber seu futuro.
Era uma alegria geral, todos se juntavam para ler a sorte uns dos outros e guardavam maravilhados seus papéis para não perder a “boa sorte”, o que sempre acontecia, pois aquele bichinho pequenino nunca tirava nada além de coisas boas, elogios e bons conselhos.
“Você vai ser muito feliz na vida”. Tenho esse papel guardado até hoje! Me lembro de que às vezes, nos momentos tristes da minha adolescência eu corria no meu antigo diário e lia novamente aquela frase e ficava mais tranqüila na certeza de que ali estava escrito o meu destino.
Nunca mais vi um realejo. Acho que eles deixaram de existir, não há mais espaço para o sonho nas ruas. Uma pena!

4 comentários:

Merciasz disse...

´de ilusão tb se vive, né Régis..
principalmente nos tempos atuais, onde a violência impera.

Jussara Gehrke disse...

eu tb tenho guardado um papelzinho desse, gosto dessa idéia de previsões felizes!

Sole disse...

Até hj quando vou ao Bairro da Liberdade aqui em Sampa eu tiro a 'sorte' assim, gosto!

seu blog tá lindo, mudou a cara dele, tá fofo D+

bjos

Teresa disse...

Aqui no Rio tb não tem mais realejos. Uma pena eu adoro!