31 março, 2010

Eu escrevi um poema triste



Recordo ainda... e nada mais me importa...
Aqueles dias de uma luz tão mansa
Que me deixavam, sempre, de lembrança,
Algum brinquedo novo à minha porta...
 
Mas veio um vento de Desesperança
Soprando cinzas pela noite morta!
E eu pendurei na galharia torta
Todos os meus brinquedos de criança...
 
Estrada afora após segui... Mas, aí,
Embora idade e senso eu aparente
Não vos iludais o velho que aqui vai:
 
Eu quero os meus brinquedos novamente!
Sou um pobre menino... acreditai!...
Que envelheceu, um dia, de repente!...
 
 
(Mario Quintana )

3 comentários:

Márcia disse...

Quintana nos brinda com o que existe de mais sensível, a poesia pura.
Feliz Páscoa, flor querida.
beijos saudosos

RosanAzul disse...

linda postagem Regina...
Não poderia de passar por aqui e te desejar uma
Feliz Pascoa!!!

A única coisa constante em nossas vidas é a mudança. Aprender é mudar. Cada vez que aprendemos alguma coisa, há uma mudança em nós e o melhor dos aprendizados é aprender a ser feliz!
Um abraço com carinho e amizade!
RO

Flavia disse...

Xuxuzinha querida, Feliz Páscoa pra você!!!
Grande Mario Quintana!!