22 maio, 2009

Momento Fotográfico





















Museu do Ingá (Niterói/RJ)
(antigo Palácio do Governo)


O Palácio Nilo Peçanha, conhecido como Palácio do Ingá, foi construído para ser residência do médico e político Dr. José Martins Rocha, em meados de 1860. Em 1896, após sua morte, a família vendeu o imóvel ao industrial português José Francisco Correa, Conde de Agrolongo, dono da Manufatura de Fumos e Cigarros Veado. O Conde de Agrolongo reformou a mansão, onde realizava festas e recepções que, na época, ganharam fama. Em 1903, retirou-se para Portugal, vendendo a residência e seus pertences em leilão.

No ano de 1903, Niterói voltava a ser capital do Estado e o governador Nilo Peçanha resolveu adquirir o palacete para sede do governo. A escritura foi assinada em 30 de junho de 1904. Desde então moraram e despacharam, no Palácio do Ingá, 43 governadores eleitos, interventores e interinos. Seu último ocupante foi o governador Raimundo Padilha, antecedendo a fusão dos Estados do Rio de Janeiro e Guanabara, em 1975. O palácio foi transformado, então, em Museu Histórico do Rio de Janeiro. Um ano depois foi criado o Museu de Artes e Tradições Populares que, inicialmente, tinha administração independente. Em 1991, através de decreto, os dois museus fundiram-se num só - Museu de História e Artes do Rio de Janeiro.


Para acomodar o Museu de História e Artes do Rio de Janeiro e suas oficinas de arte, o prédio sofreu algumas modificações internas. O museu possui um acervo de aproximadamente 4.800 peças entre mobiliário, porcelanas, documentos, cristais, esculturas, fotografias e numismática, além de obras de artistas de renome, como Antônio Parreiras, Licínio Albuquerque e Quirino Campofiorito. Outra parte do acervo é formada por peças da arte e tradições populares brasileiras, com destaque para peças do Mestre Vitalino. O museu possui ainda uma biblioteca especializada em história, artes plásticas, arte popular e folclore, além das salas destinadas às exposições temporárias.

3 comentários:

Jussara Gehrke disse...

que lindo Regina, quem será que construiu e morou nesse palácio, não?

beijo
Ju

Márcia(clarinha) disse...

Que bela construção e que clique generoso, rss

lindo sábado flor querida
beijos

Jussara Gehrke disse...

muito bom Regina, é interessante saber a história, sou ligada nisso, viajo...

legal o post!

beijinho
Ju