04 outubro, 2007

Madame Bovary



















Madame Bovary, de Gustave Flaubert (1821- 1880), é um romance atemporal, pois transmite uma mensagem que perpassa o tempo, os séculos e condiz com a realidade atual. Comprometido com os padrões de sua época, com uma linguagem extremamente trabalhada e descritiva, foi lançado na França há 150 anos atrás (1857).
O personagem de Ema Bovary é o de uma bela mulher, sonhadora, requintada e inteligente, apesar de ter sido criada no campo, com os altos e baixos próprios de uma mulher que nunca sabe o que quer, sonhava com príncipes, bailes e riquezas. Viveu numa época em que as mulheres eram proibidas de expressarem seus sentimentos e desejos, não participavam da vida política e eram criadas para serem esposas ou freiras. No entanto, Flaubert a coloca na contramão de seu tempo, vaidosa, cheia de vontades, buscando caminhos diferentes, não aceitava ser submissa, prendada ou fiel e procurava incessantemente satisfazer seus caprichos nas suas paixões extraconjugais.

Regina Fernandes

4 comentários:

Safira Feliz Ventura disse...

Olá Amiga,
Que post lindo.
Eu me lembrei muito de uma pessoa que já se foi,ela me deu esse livro há 30 anos atrás.
Parabéns pelos posts,vc está cada dia mais inpirada e nos faz viajar lendo seu blog.
Obrigada por vc existir.
Beijos

Daniel disse...

Oi Regina!
Adoro Madamy Bovary. Gosto muito de livros que foram polêmicos em sua época, como os da Virgínia Wolf e Lolita de Vladmir Nabokov. Flaubert foi bastante ousado em escrever sobre uma mulher adultera, apesar de tê-la escrito de forma muito mais delicada do que a sociedade daquela época criticava.
Como sempre falo, você tem muito bom gosto.
Abraço!

Anônimo disse...

Olá Regina!

Gostaria de parabenizá-la pelo blog e perguntar-lhe qual é o autor do quadro que ilustra o post sobre Bovary.

Abraços

Sir Gawain
e-mail: sir_gawain27@hotmail.com

Anônimo disse...

You made a few excellent points there. I did a search about the topic and barely got any specific details on other sites, but then happy to be here, really, thanks.

- Lucas