06 julho, 2007

Uma questão de peso


Essa semana fui ao cardiologista e ouvi que eu precisava perder alguns quilos. Mal sabe ele que eu perco, mas acho logo! Tenho dois problemas com meu peso, a facilidade para engordar e a dificuldade para emagrecer. Contei isso a ele e como resposta ele disse: é só você fazer uma reeducação alimentar! Tá certo, então o problema é esse? Falta de educação! Não acredito que seja, em algum lugar no meu DNA deve ter um gene, relacionado ao acúmulo de gordura, absolutamente egoísta, que resolve guardar tudo e não desperdiçar nada. Além disso, meus olhos contribuem para esse distúrbio genético, pois basta eu olhar para qualquer coisa diferente de uma folha de alface que meu peso aumenta. O interessante é que eu nasci magrinha, fui uma adolescente magra, o que me causou muitos problemas porque naquela época o corpo violão era tudo de bom! Mas não foi nada grave que me fizesse infeliz. Ao longo do tempo acho que o meu gene, aquele da gordura, foi despertando, crescendo, tomando conta, ficando o dono do pedaço. Com isso, passei a vida engordando, emagrecendo, engordando, emagrecendo... a famosa sanfona desorientada que a maioria das mulheres conhece bem. Bom, parei no engordando! Também já fiz todas as dietas, da lua, do abacaxi, do copo d’água morno, calorias não engordam, já ouvi uma série de conselhos como corta massa, tira o açúcar, pão não pode, não come carne vermelha, só se alimenta até as sete da noite! Quanta tribulação!
Com tudo isso hoje me dou conta de que a solução é viver feliz! Se não tem solução, solucionado está! É claro que vou seguir todas as instruções do médico, caminhar, fazer exercícios, trocar o açúcar por adoçante, comer bastante verduras, ingerir mais proteínas e menos carboidratos... não vai ser fácil mas, enquanto há vida há esperança!

Regina Fernandes

6 comentários:

Lia disse...

Olá Amiga,
Lendo seu post fiz uma viagem e me deparei com uma adolescente magérrima,aflita pra ganhar uns quilinhos a mais.
Cheguei a conclusão que sempre estive fora dos padrões de beleza impostos dela mídia.
Naquela época ser gordinha significava ter sucesso total com o sexo oposto,eram chamadas de "boazudas".
Hoje com a ditadura da magreza,ganhei os quilos que tanto pedi a Deus na adolescência.
Lembra daquela frase?
"Deus tarda,mas não falha".
Pois então......
Não consigo fazer dieta,alface pra mim é comida de passarinho,daí me resignei a viver feliz com meu novo look.
Desejo muita sorte e perseverança pra vc seguir a dieta imposta pelo médico.
È difícil... mas não impossível.
Beijocas e fique na Paz.

Regina Fernandes disse...

Lia querida o importante é que vivemos felizes do jeitinho que somos! Muito gostoso.
Bjs e volte sempre.

Rodrigo disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso. (If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada. If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

Anônimo disse...

Aff Amiga eh por isso q eu não vou ao médico rs...
Mas tamos aih sempre na peleja c o peso.
Beijossssssssssssss
Tati

isa disse...

REGINA QUERIDA,
aprendi que mesmo magrinha podemos carregar pesos indesejados, por isso adorei a maneira como vc construiu o texto das suas idas e vindas, com leveza e bom humor. Espero que a sua dieta não atravesse o seu campo da delicadeza. Bjocas e vamos torcer para que as nossas esperas tragam sempre boas mudanças.

Regina Fernandes disse...

Isabel querida adorei te ver aqui no blog.
Obrigada pela presença.
Bjocas